Pavilhão Virtual “Portugal - A Gastronomia Multicultural” | Evento virtual
Expo 2015 “Alimentando o planeta, energia para a vida”

1 de Junho a 30 de Novembro de 2015

 

 

 

Portugal criou as rotas da gastronomia multicultural.
Com a expansão marítima e territorial, Portugal adquiriu a notoriedade internacional como potência pluricontinental. Ao explorar novas rotas e descobrir novas culturas permitiu aos Portugueses o enriquecimento e a ampliação da sua própria Cultura e Conhecimento, que não desprezaram em dar a conhecer por todo o Mundo.
Os sabores foram um dos principais motivadores da gesta Lusa – as especiarias, como a pimenta, o cravinho, a canela, entre tantas outras -, criaram a primeira cozinha intercontinental. A gastronomia portuguesa terá sido a primeira a difundir a essência da fusão cultural, e ainda hoje impressiona pela sua diversidade e alcance mundial e multiculturalidade representados no bacalhau do Mar do Atlântico Norte, a malagueta e os feijões de áfrica, o arroz da Ásia, o amendoim do Brasil, o açúcar da Índia, a batata e o milho da América do Sul, o tomate da América Central, já Escoffier, célebre chef francês, restaurateur e escritor que popularizou e renovou os métodos tradicionais da culinária francesa, identificava todas as receitas com tomate com a denominação “à la Portugaise”. Os exploradores Portugueses trouxeram iguarias para Portugal como a “canja de galinha” ou “kañji” da Índia; ou a famosa “tempura” levada para o Japão. Na Indonésia, ainda hoje se degusta a “serikaya”, em tudo semelhante à “sericaia” do Alentejo, e o “pudim” e os “fios de ouro” tão apreciados na Tailândia, inspirados na “tigelada” ribatejana, e nos “fios de ovos” conventuais portugueses. Os Portugueses levaram igualmente o “pirão” do Brasil para Angola, e daí trouxeram em troca o “funge”, ou “fúnji” para o Brasil.

João Micael, Presidente

Especiarias
Doçaria Conventual
Azeite
Gastronomia Portuguesa
Especiarias
Azeite e óleos
Gastronomia Multicultural
Vinhos
Águas Minerais
Águas minerais