A marca da Matriz Portuguesa foi criada para expressar os valores e o posicionamento da instituição, representada num brasão de armas, definido pela sua descrição escrita, a qual é dada numa linguagem heráldica.

Lisonja de ouro, com cruz vazia, em forma de espada – a Espada do Bom Combate -, com o punho rematado em forma de crescente e as guardas em crescentes adossados. O seu esmalte é de verde.

A cruz assemelha-se à silhueta feminina, e a sua ponta inferior figura a ponta de aparo de pena de escrever.

Laço de amor com inscrição a encarnado “Ad Gloriam”, (Pela Glória, sem proveito material).

Inscrição a verde na base “MATRIZ PORTUGUESA”.

Tem como Tenentes duas imagens de S. Miguel Arcanjo, Anjo Custódio de Portugal, com grandes asas recolhidas, revestido de túnica dourada que lhe cobre os pés, de cabeleira escura e anelada a emoldurar-lhe o rosto, com uma banda larga que lhe atravessa o busto, da direita para a esquerda. O Tenente da esquerda segura a cruz da Universidade Femina, e o da direita segura o Escudo de Portugal.

A cor verde ou sinopla significa amor, gentileza, posse, graça, precisão e beldade.

A sua pedra correspondente é a esmeralda, que representa Vénus, a força e a esperança.

O Ouro ou jalde é o metal representado pela cor amarela. Significa fé, honra, força, sabedoria, vigor, poder, fidelidade, circunstância, riqueza, tolerância, coragem e firmeza.
A sua pedra correspondente é o topázio, que representa o Sol e a justiça.

A Lisonja é um escudo destinado às armas femininas, e o elmo é substituído por um laço de amor.

O Crescente significa poder e nobreza.